Dayse Cristina Oliveira Melo | Comportamento

Amamentação e Câncer de Mama

Amamentar pode diminuir as chances de câncer de mama.

Publicado em 11/10/2017

Dayse Cristina Oliveira Melo

Dayse Cristina Oliveira Melo - Comportamento

Colunista
compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus
Amamentação e Câncer de Mama

Na semana passada conversamos sobre a importância do Aleitamento Materno exclusivo por 6 meses e até 2 anos ou mais de forma complementar.

 

Os benefícios trazidos pelo Aleitamento Materno são inúmeros e desejamos falar sobre eles quantas vezes forem necessárias para que isso se propague e tenhamos ainda mais e mais lactantes exclusivos até os 6 meses e complementares até quando mãe e bebê decidirem.

 

Essa semana, em destaque ao mês de outubro, considerado “Mês Rosa”, onde preconizamos ainda mais sobre a importância do autoexame entre outros cuidados para prevenção do Câncer de Mama, vamos conversar com vocês, nossos queridos leitores, sobre o Aleitamento Materno e o Câncer de Mama.

 

O câncer de mama é o mais comum entre as mulheres no Brasil e no mundo. Muito temido por afetar questões físicas e psicológicas. Interfere diretamente nas percepções de sexualidade feminina e autoimagem.

 

Trata-se de um tumor maligno que se desenvolve nas células da mama e que, com o tempo, pode invadir os tecidos subjacentes próximos, alcançando os linfonodos, ganhando circulação em outros órgãos. Exatamente por isso, sua prevenção evita essa circulação e seu tratamento antecipado e por inteiro.

 

Na mulher, após os 35 anos a incidência aumenta progressivamente e, ainda mais pós 50 anos.

 

Amamentar reduz os riscos de câncer de mama. Quanto maior o tempo que a mulher amamenta, melhor a proteção contra o câncer de mama, segundo a Professora Valerie Beral, em um estudo do Charity Cancer Research UK, na Grã-Bretanha.

 

Por que isso?

 

- Grande parte das mulheres não ovula enquanto amamentam, sendo menos expostas ao hormônio estrógeno que pode ocasionar câncer de mama, ovário e útero.

 

- O leite produzido 24h por dia, limita as células da mama de se multiplicarem de forma desregulada.

 

- Durante a amamentação a maioria das mulheres adota estilos de vida mais saudáveis, evitando bebidas alcoólicas e cigarros.

 

Diferentes estudos científicos demonstram com clareza a relação da amamentação e a redução do câncer de mama.

 

Mulheres que amamentaram em algum momento da vida tiveram 30% menos risco de recorrência de câncer de mama e 28% menos riscos de morrer de câncer de mama comparado com mulheres que nunca amamentaram. Os benefícios são ainda maiores para mães que amamentaram por mais de 6 meses. (Breastfeeding, PAM50 Tumor Subtype, and Breast Cancer Prognosis and Survival).

 

Não temos dúvidas das dificuldades sobre o processo de amamentação e sua permanência, mas estamos certos de que ela é a melhor opção para você e o seu bebê.

 

Interaja conosco pelas redes sociais e nos conte como foi ou como está sendo a sua experiência para amamentar. @amamaenasceuassessoria e @somosmaesdeprimeiraviagem

compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus

Sobre o colunista

Dayse Cristina Oliveira Melo

Consultora Materna Especialista em Aleitamento Materno
Consultora do Sono Infantil 
Proprietária da A Mamãe Nasceu Assessoria
Mãe do Henri e esposa do Carlos