Evelyn de Paula Pereira | Psicomotricidade

Dicas de atividades que facilitam o vínculo mãe e bebê

Confira o artigo da educadora física Evelyn de Paula Pereira.

Publicado em 24/10/2017

Evelyn de Paula Pereira

Evelyn de Paula Pereira - Psicomotricidade

Colunista
compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus
Dicas de atividades que facilitam o vínculo mãe e bebê

Os primeiros meses de relação mãe e bebê são de pura adaptação para ambos. É por muitas vezes um período bem exaustivo na vida da mulher e de muita flexibilidade para o bebê, pois ele é codependente da mãe para se desenvolver.

 

Por este motivo, após o bebê tomar todas as vacinas é super válido a mãe procurar atividades lúdicas que favoreçam o contato entre ambos para promover um tempo de qualidade com seu bebê e para aliviar as tensões e sair da rotina.

 

Gosto muito destas citações de Elisabeth Badinter "(…)o amor materno não é inato. É exato: acredito que ele é adquirido ao longo dos dias passados ao lado do filho, e por ocasião dos cuidados que lhe dispensamos(1985)."

 

"(...)O amor materno é apenas um sentimento humano. E como todo sentimento, é incerto, frágil e imperfeito. Contrariamente aos preconceitos, ele talvez não esteja profundamente inscrito na natureza feminina. Observando-se a evolução das atitudes maternas, constata-se que o interesse e a dedicação à criança se manifestam ou não se manifestam."

 

Logo, a construção da relação mãe e bebê é gradual e advém do convivio diário. Por este motivo, a mãe é fundamental nos primeiros anos de vida do bebê. Buscar atividades que propriciem uma interação saudável para a estruturação dessa relação e desenvolvimento do bebê é fundamental para o despertar do amor entre ambos.

 

Segue algumas dicas de atividades para serem realizadas com seus bebês e seus beneficios, nos dois primeiros anos de vida:

 

Massagem: é a primeira atividade recomendada para a estruturação do vínculo mãe e bebê, pois ela pode ser realizada desde o nascimento até o primeiro ano de vida.

 

Dança materna: A dança mãe-bebê propicia à mulher o retorno a vida social depois do parto. Através das trocas de experiências da maternidade com outras mães , ela pode compartilhar suas próprias experiências e dificuldades, além disso, por ser uma atividade física, a dança pode ajudar na redução do peso corporal, a diminuir o stress, auxiliar no tratamento da depressão pós-parto, na reeducação da postura e o conhecimento mútuo entre mãe-bebê. Para o bebê, esta atividade promove o relaxamento através do balanço da dança, dos gestos corporais, do conforto, o aconchego e a proximidade com a mãe, também pode contribuir com a melhora do sono, fortalecimento sócio emocional e pode ajudar a diminuir as cólicas. Os movimentos executados nessa aula são leves, ritmados, lentos e coordenados em forma de dança circular. Os bebês devem estar dentro do Baby Sling ou Canguru, e na falta de um dos dois podemos adaptar com uma canga gigante.

 

Natação: A mãe interage com seu bebê num ambiente agradável e com a piscina numa temperatura de uma grande banheira. A aula envolve música, movimento, brincadeiras, interação com objetos e outras mães e bebês. Estimula a respiração, equilíbrio, coordenação, noções de lateralidade, noções de espaço, tempo e ritmo, etc.

 

Estimulação em solo: Aula em grupo que promove atividades lúdicas que envolvem exploração do espaço, noções de corpo, rodas cantadas, brincadeiras, atividades de circuitos e relaxamento. Também durante a aula desenvolvemos a noção de regras, espaço, tempo e ritmo, jogos interativos entre outras mães e bebês ou relacionais com outras mães e bebês, além de receberem orientações sobre como lidar com birras e comportamentos. Durante a aula o professor tem a penas o papel de orientar as mães para que elas executem as atividades e comandos aos filhos.

 

Brincadeiras em parques: Atividades ao ar livre são de extrema importância para o bebê explorar a natureza.

 

Aqui estão apenas algumas atividades que considero importante nos primeiros anos do bebê. E lembre-se: o mais importante para estreitar relação com seu bebê, não é a intensidade do tempo que passe efetivamente com seu filho, mas o tempo de qualidade e atenção extrema voltada para ele durante o dia. E a longo prazo colherá o resultado, crianças seguras, confiantes, educadas, afetuosas, saudáveis, felizes, independentes e autônomas.

 

Espero que tenham gostado das dicas!

compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus

Sobre o colunista

Evelyn de Paula Pereira

- Cref.003174-G/SP
 
- Professora de Educação Física
 
- Pós-graduada em Estimulação Psicomotora pelo ISPE-GAE
 
- Graduada pela UNIFMU
 
- Autora do site www.corpoematividade.com.br
 
- Professora de estimulação Psicomotora no Colégio My Place para bebês até 2 anos.
 
- Professora de natação e estimulação psicomotora em solo para bebês até 2 anos na Academia Bodytech unidade Shopping Eldorado São Paulo
 
- Ministra palestra de orientação para ensinar pais, bercaristas e professores a estimular bebês.