Renata Cintra | Carreira

O desafio da conciliação

Confira o artigo da coach Renata Cintra.

Publicado em 31/10/2017

Renata Cintra

Renata Cintra - Carreira

Colunista
compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus
O desafio da conciliação

O desafio da conciliação da maternidade com o trabalho é uma questão já conhecida e sempre discutida, quer seja em fóruns, artigos, em conversas sociais, na família. É um tema que “paira no ar”, como parte do universo feminino da atualidade.


Trazendo um pouco de concretude a este tema, um estudo realizado pela Escola Brasileira de Economia e Finanças da Fundação Getúlio Vargas intitulado “Licença Maternidade e suas consequências no mercado de trabalho do Brasil”, e publicado pelo jornal Nexo, analisou dados do Ministério do Trabalho de 247.455 mulheres, com idade entre 25 e 35 anos, que tiraram licença-maternidade entre 2009 e 2012, e acompanhou seu desempenho no mercado de trabalho até 2016. 


O Jornal entrevistou uma das autoras do estudo, Cecília Machado, e trouxe os principais achados e conclusões do estudo. E a que conclusões a estudiosa chegou, com base nos dados?


- que 50% das mulheres não permanecem no mercado de trabalho após 1 ano da licença maternidade;


- que a grande parte de quem deixa o trabalho o faz logo após o fim da licença; os registros mostram que parte desse desligamento ocorre por pedido da funcionária e parte por iniciativa da empresa, mas esta segunda opção pode conter casos de acordo entre as partes, em que a empresa demite a funcionária para que esta mantenha seus benefícios;


- que a maioria dessas mulheres que saem após a licença tem grau de escolaridade menor – o que pode indicar uma renda menor e uma dificuldade financeira em ter alguém, escola, creche, para cuidar do filho;


- que uma política pública de mais escolas, creches, poderia ajudar na permanência dessas mulheres no mercado de trabalho;


- que as mulheres precisam de flexibilidade das empresas, para conciliar o trabalho e as demandas de um filho pequeno.


Ou seja, há dados que mostram, em números, o quanto é desafiadora essa conciliação de papéis de mãe e profissional. Do ponto de vista prático, é preciso ter alguém que cuide dos filhos para a mulher trabalhar, e trabalhar com tranquilidade. Pode ser um parente, uma escola, uma babá ou cuidadora. Ela precisa de uma rede de apoio. E se a mãe não tem recursos ou condições para tal, pode ficar sem opção e ter que deixar o emprego – ao menos o emprego formal.


O estudo não mostra o encaminhamento das mulheres que deixam a empresa; podemos fazer inferências, a partir de situações vistas no cotidiano, de que essas mulheres podem ficar em casa exercendo seu papel de mãe em tempo integral, podem partir para trabalhos informais, trabalhar de forma autônoma ou em tempo parcial.


Bem, se 50% das mulheres deixam o mercado de trabalho após a licença maternidade, outros 50% permanecem.


Permanecem para continuar com seus ganhos, manter seu padrão de vida e proporcionar o que a família precisa. Permanecem porque querem preservar algo de importante que o trabalho lhes proporciona: convivência, aprendizado, satisfação, realização…


Qualquer que seja a motivação, qualquer que seja a situação de trabalho – se emprego formal em tempo integral, se em tempo parcial, se autônomo ou informal - algumas habilidades e competências são exigidas de nós mulheres, para que consigamos lidar com nossos papéis de mãe e profissional. E sem falar nos demais papéis, pois somos também esposas, filhas, amigas…  Nossa, como é que conseguimos?!!


Em coaching, quando falamos em competências, estamos falando da reunião e coordenação de conhecimentos, atitudes e habilidades, que quando colocadas em prática nos permitem desempenhar nossos papéis e lidar com os desafios e experiências da vida de forma mais eficaz. E em nossos processos de coaching executivo e de carreira para mulheres esse conciliar de papéis, desde as motivações até os encaminhamentos práticos, estão sempre presentes.

 

Por isso quero propor um pequeno exercício. Procure ir respondendo às questões antes de seguir para as próximas. E vá anotando as respostas!


Pensando em maternidade e carreira:


1. Quais os principais desafios que você tem relacionados aos seus papéis de mãe e profissional?


2. Quais são seus maiores pontos de dificuldade?


3. O que você tem feito para lidar com esses desafios ou dificuldades?


4. E o que você tem feito que está funcionando bem, e está ajudando a lidar com esses desafios?


4.1. Que habilidades você usa para fazer isso que está funcionando bem?


5. E o que não está funcionando bem? O que você poderia fazer de diferente que lhe ajudaria a lidar melhor ou minimizar essas dificuldades ou desafios? 

 

A partir dessa reflexão, se você fosse eleger três ações que colaborariam positivamente para resolver ou minimizar seus desafios e dificuldades na conciliação de carreira e maternidade, quais seriam elas?


E que habilidades e competências você poderia usar para lhe ajudar a colocar essas ações em prática?


Agora relacione as três ações, quando irá fazê-las e como irá fazê-las. E coloque este pequeno plano de ação em prática! Qualquer ação, ainda que pequena, funciona como uma alavanca que nos movimenta em direção aos nossos objetivos.


Desde o início desse texto falamos em conciliação. Dentre os significados de conciliar que podemos encontrar no dicionário, um particularmente me encantou: pôr ou ficar em paz; tranquilizar (-se).

 

E em última instância, acredito que esse seja um ponto fundamental para nós, mulheres: que possamos escolher nosso caminho e que tenhamos atitudes e ações que nos permitam ficar em paz, nos tranquilizarmos, qualquer que seja o caminho escolhido.  

 

*se você quiser compartilhar suas principais dificuldades e desafios na conciliação da maternidade e carreira, deixe seu depoimento aqui #maternidadeecarreira

compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus

Sobre o colunista

Renata Cintra

Mãe do André e do Felipe, Renata é coach formada pelo ICI - Integrate Coaching Institute e tem especializações em programas certificados pela ICF - International Coaching Federation, como: Quantum Evolution Coaching, Assessent de Liderança Janusian, Facilitadora de Coaching Games Points of You. Membro do ICF – International Coaching Federation.

Fez sua transição de carreira para o coaching após quase 25 anos de atuação no mercado financeiro, em posições de diretoria e superintendência em bancos, seguradoras, empresas de cartões. Foi também consultora de negócios, professora de cursos de pós-graduação, e é co-autora de livro sobre finanças sustentáveis, tenho sido vencedora da última edição do Prêmio Ethos Valor e finalista do Prêmio Itaú de Finanças Sustentáveis.

Sócia na Korkes & Cintra Coaching, é especializada em coaching executivo e de carreira, para indivíduos e grupos; atua em grandes corporações e com pessoas em fase de transição de carreira ou que buscam desenvolver sua empregabilidade. Co- idealizadora do Reluz - Coaching de Carreira em Grupo, trabalho realizado também socialmente.