Mães & Filhos | NOTÍCIA

Quando o refluxo se torna um problema?

É preciso que os pais fiquem atentos a todos os sinais e procure a ajuda necessária.

Publicado em 21/08/2017

Marcela Lima

Marcela Lima - Conteúdo Somos Mães Agência Digital

Somos Mães de Primeira Viagem
compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus
Quando o refluxo se torna um problema?

O refluxo é um problema comum entre os bebês e as mamães conhecem bem esse incômodo. Entretanto, poucos pais conhecem os problemas que podem ser causados pelo refluxo.

 

Cerca de 40% dos bebês apresentam essa condição em seus primeiros meses de vida. A boa notícia é que são poucos os casos que evoluem para algo mais sério e costuma melhorar de acordo com o desenvolvimento do aparelho digestivo do bebê ao longo do tempo.

 

O refluxo acontece devido ao enfraquecimento ou mal funcionamento de uma válvula que conecta o estômago ao esôfago chamada esfíncter, isso permite que o suco gástrico e alimentos voltem do estômago à boca.  Como explica a pediatra Maria Júlia Carvalho: “Qualquer pressão maior na barriga, o conteúdo do estômago pode 'voltar', causando a regurgitação”.

 

 Mas como posso identificar que o refluxo virou um problema mais grave?

 

Como dito acima, o refluxo por si só não é um problema grave, é algo natural do desenvolvimento da criança. “Porém, caso a criança apresente outros sintomas junto aos refluxos, pode ser um caso de doença do refluxo gastroesofágico, em que há comprometimento da saúde da criança”, explica  Maria Júlia.

 

A pediatra lista alguns sintomas que podem indicar que algo não está correto:

 

- Dificuldade de ganho de peso;
- Irritabilidade ou agitação durante ou após a mamada, às vezes curvando-se para trás;
- Choro intenso após mamar e recusa do leite;

- Vômitos em grande quantidade com muita frequência;
- Tosse crônica, infecções respiratórias recorrentes e otites de repetição.


Se o seu bebê apresentar todos esses sinais ou alguns deles, procure um pediatra. Ele poderá diagnosticar corretamente o problema e indicar o melhor tipo de tratamento.

compartilhamento:
  • Compartilhar no Facebook
  • Twittar
  • Compartilhar no Google Plus